i’m feeling *thirty two

nesse abril de 2022 completei trinta-e-dois-fucking-anos e ainda me pergunto: como foi que cheguei até aqui? esse lugar curioso que me faz pensar em como tô velha, ao mesmo tempo que também me faz ter a consciência de que ainda tenho pelo menos outros 32 anos pela frente. ou seja, mais uma vida inteira pra ser vivida.

o lado bom de ter passado dos trinta é que tô finalmente começando a sentir a famosa libertação de que tanto falam. e pra uma pessoa que sempre se afetou MUITO com coisas externas, posso dizer que tenho percebido com alegria e alívio esse movimento contrário começar a acontecer. cada vez menos coisas me abalam, surpreendem ou magoam. sinto que já vivi muita coisa e acumulei muita bagagem alheia desnecessária, então finalmente consigo começar a liberar toda essa tralha pra dar espaço para os novos aprendizados que estão por vir (e sei que virão muito possivelmente causando dor, porque é assim que a vida é). não vejo mais a necessidade de me provar, são poucas as coisas e pessoas com que me importo de verdade. tenho aprendido a ser cada vez mais seletiva em todos os sentidos possíveis e imagináveis — e também a me colocar em primeiro lugar, coisas impossíveis para a karine de vinte e poucos anos (que sempre se achou tão madura e espertinha). tô experimentando um tipo de liberdade mental que não consigo explicar em palavras, só sei que mudanças estão acontecendo e isso é diferente de qualquer outro momento que já vivi na vida.

esse post seria ~apenas um photodump, mas resolvi colocar aquele textinho no início contextualizar. em abril iniciei mais um novo ciclo de vida. ganhei livrinhos, fui em cafés, me mimei. comi muito chocolate (e sigo comendo até agora). tirei os últimos dois sisos e vivi dias chatos de recuperação. revi a amada e eterna dark diva. visitei o ~meu sesc depois de quase três anos sem pisar ali (e ainda ganhei uma foto minha naquelas famosas rampas bonitas). trabalhei muito. engatei no pilates e posso dizer me apaixonei por esse exercício físico. reencontrei alguns amigos queridos da faculdade de arquitetura. me apaixonei por heartstopper. e estudei muito com “ajuda” do gato charlie. agora já estamos no meio de junho e faz mais de um mês que tudo isso passou, mas assim como fiz com maio, achei que esse abril deveria ficar registrado por aqui também (mesmo que fora de ordem). beijos, bom feriado pra vocês e até o próximo post!

faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

40 comentários em “i’m feeling *thirty two

  1. quanta tralha a gente deixa pra trás né? meudeus como é libertador! os trinta e dois vieram com esse peso, ou melhor, com essa leveza toda também. o peso pra dar com os pés na porta e definir o que vale manter na nossa vida e a leveza que é viver as consequências disso. doido, as vezes dói de um jeito bizarro, mas a leveza AAAAAAAAAAA sem palavras!

    ps. post photodump bom demais <3

  2. é sempre bom te ler <3 e pessoalmente perceber que com o tempo as coisas vão se ajustando. tô muito nessa fase de refletir e colocar meu coração no que importa (situações e pessoas). somente esses dias, após longos meses, consegui sentir alívio. aproveito pra registrar esses espaços de compreensão sobre a vida para se algum dia eu esqueça, esses lembretes me façam "renascer". teu blog é um desses lembretes de amor.

    abraços, miga.

    • acho que a vida é cheia desses momentos, onde a gente começa a pensar que começou a entender certas coisas, pra depois ver que não sabia é de nada (talvez daqui uns anos eu pense o mesmo sobre a karine de 30 ano haha). mas é sempre bom sentir esse alívio <3

  3. Em dois meses eu me despeço da casa dos vinte pra finalmente trintar. Digo finalmente porque tendo sido uma criança com sonhos esquisitos pra vida, eu sempre quis muito fazer 30.
    Temi por um tempo o retorno de saturno e agora que chegou tô achando super de boa, nada catastrófico como imaginei. Mas me identifiquei com isso que você disse dessa libertação vir junto com o espaço pra coisas novas. Nos últimos meses tem vindo aos poucos uma clareza do que não me serve mais e com isso passei a me sentir bem mais disposta a encontrar novas coisas pra essa nova década de existência. É legal realmente sentir esse clima de novo ciclo, principalmente depois desses dois anos que foram só um bololô de caos.

    • amei a criança com sonhos esquisitos querendo fazer 30 HAHAHAHAHAHA essa ~renovação pra uma nova década de existência é maravilhosa <3

  4. olá! Vim do blog da Jennifer e amei conhecer seu blog. Vou seguir.
    Acho que com a idade vamos ganhando mais sabedoria, parar de se importar com o que os pensam é uma delas. Eu tbm melhorei muito nesse sentido mas ainda não sinto a total liberdade.
    Bjks

    • obrigada e seja bem vinda <3 acho que liberdade total é utopia, mas é sempre bom encontrar novos espacinhos mentais pra gente se sentir feliz sendo quem a gente é!

  5. Parabéns atrasado, K!!!
    Envelhecer eh bom demais (tirando os cabelos brancos). Eu também me sinto muito mais plena e segura pra assumir que não tenho saco pra certas bobagens e despachar coisas que não quero sem depender dos outros. Que o seu ciclo dos 30 anos seja muito bom!! 💖

    • obrigada manu <333 e sim, tirando os cabelos brancos. na real eu nem me importo taaaanto com eles, mas não tem como deixar de reparar, né? aumentaram consideravelmente por aqui nos últimos dois anos kkkk

  6. Eu não sei COMO, mas as suas notificações não tavam vindo pra mim e eu perdi tantos posts seu! Adoro te ler, amo suas fotos, e fiquei feliz em saber que você tá começando a sentir essa liberação que os 30 trazem… é muito bom mesmo! Só vai ficando cada vez melhor!

    • aaaa, obrigada bá! acho que rolou isso por causa da mudança no feed do blog. como mudei para o WP o feed antigo ficou bugado kkkk

  7. Ah, é uma delícia essa sabedoria que só vem com a idade mesmo.
    Se importar menos com o que os outros pensam e mais com o que A GENTE pensa e sente. Um verdadeiro hino.
    Parabéns pelo aniversário e que o seu “ano novo” seja lindo e surpreendente(mente bom). <3

  8. Lorde estava certíssima quando escreveu “couldn’t wait to turn fifteen then you blink and it’s been ten years” (quem dera fossem só ten years, dona Lorde…). Amo quando você faz esses posts com fotos porque sinto que tô te acompanhando no instagram (mesmo não tendo mais instagram). Isso meio que acalma meu FOMO, sabe? hahahaha

    • meu deus sim, essa música é um HINO. parece que foi ontem que tinha 15 anos, agora já faz mais de 15 anos que isso aconteceu (rindo de nervoso). enfim, KKKKKK obrigada miga <3

  9. Ka, que lindeza o texto e as fotos <3 lembro que quando eu era adolescente, minha tia sempre falava que depois dos 30 a mulher começa a ter menos inseguranças, e sempre pensei nisso como uma esperança de ser mais forte pra decidir as coisas e viver bem. Feliz por ver que você tá se sentindo assim com 32! um feliz novo ciclo pra ti, que venham mais livros, estudos, carinho dos gatinhos, chocolates, cafés e muitas alegrias na tua vida.

    Um beijo

  10. Deve ser incrível começar a sentir tudo isso, espero conseguir em breve. Pelo menos sinto que estou trabalhando para isso hahaha. PS: Que delícia foi o seu mês, muito merecido <3.

  11. Oi Karine! Primeira vez aqui no blog, vim pelo blog Na Cabeceira, o seu estava na lista de indicações.
    Primeiro, parabéns pelo aniversário! Sempre ouço falar nessa mudança de mentalidade que acontece quando se chega nos 30, e sinceramente não vejo a hora de acontecer comigo. Eu tenho 26 agora e depois dos 25 eu sinto que minha cabeça mudou tanto, que amadureci tanto. Espero que comigo as coisas aconteçam como aconteceu com você e eu amadureça ainda mais.

    Amei as fotos e principalmente os gatinhos, fofos demais

  12. Antes de fazer 30, a sensação que eu tinha era que eu precisava fazer X coisas antes de atingir essa idade. A pressão que eu mesma me dava era incrivelmente desagradável. Os 30 chegaram e eu não cumpri nem 1/4 da lista e vi que a vida continua, surgem novas oportunidades, ocasiões e a vida realmente não acaba quando a gente chega na 3° década da vida. O sentimento de liberdade de não ter mais essa pressão é maravilhosa, só quem chega aqui sabe, hehehe.

    • pois é, por aqui é o mesmo. não consegui fazer nem metade do que queria (antes de chegar nos 30) e depois que passou senti que a real é que não preciso fazer nada se não quiser. ou que ainda tenho TEMPO pra realizar e não preciso correr, muito doido isso!

  13. Será que a Taylor’s Version do 1989 vem com 22 versão 32?!
    Acho muito que você e o charlie poderiam protagonizar o clipe com as cenas desse photodump kkkkkkk. Acho tão legal ver como o tempo é realmente um fator gigante e importante, e como crescer é uma experiência interminável.

    • meu deus seria TUDO HAHAHAHA já pensou? e sim, é exatamente isso. crescer e amadurecer é uma experiência interminável, sempre vamos descobrindo coisas novas sobre nós mesmas e sobre a vida

  14. É um alívio ler sobre essa libertação, já já chego aos 26 e tem coisas que pesam mais do que eu achei que poderiam, mas o dia de bonança chega haha com dores até lá né, fazer o quê…
    Tava com saudade de ler seus posts
    Bejo

  15. Eu fiz 31 anos em fevereiro e também senti a liberdade presente. Parei de me importar com o que as pessoas pensam e até consegui fazer algumas coisas que nunca pensei que conseguiria (como dirigir moto); alguns amigos se tornaram conhecidos e eu passei a preocupar mais comigo mesma! Tô amando ter 30 anos, porque tem coisas que a gente só aprende com o tempo de vida mesmo.
    Gostei das fotos do post!

    • quando fiz 30 não senti mudança nenhuma, especialmente por isso ter acontecido logo quando o isolamento começou em 2020 (rindo de nervoso). ano passado também foi tudo um caos por aqui, agora que tô começando a sentir uma mudança efetiva. espero que aconteça por ai tb :) e obrigada!

  16. incrível! já conversei com uma amiga que tem 35 sobre isso, ela falou exatamente sobre estar experimentando essa liberdade da opinião alheia e de se sentir mais confortável consigo mesma. eu não sei que chavinha é essa, mas to doida pra experimentar tbm, sabe K.? acho que os 20 e poucos tem tanta pressão e cobrança sobre a gente (e da gente msm) que é difícil não se importar, e quando vem os 30, talvez a gente já tenha transbordado de toda essa pressão. e que bom, pq merecemos, né?

    p.s: vou fazer 25 e sempre me pergunto a mesma coisa, “como cheguei até aqui?” kkkkk

    p.s2: fico feliz que você esteja experimentando essa liberdade, leveza… que tudo de bom recaia sobre vc, aproveito e deixo meu happy birthday atrasado, ahaha! o post tá lindão!

    • muito obrigada, liz! e sim, os 20 são uma pequena tortura com todas as novas pressões da vida adulta. mas faz parte, né?

  17. Ah meus parabéns atrasado!!! Tem coisas que disse sobre não se magoar facilmente e saber selecionar as coisas, que me identifiquei, apesar de ter um pouco menos idade acho que isso acontece quando amadurecemos e vemos o quanto fazer essa análise nos ajuda. O que falar das suas fotos? desde sempre arrasando.

  18. que lindeza! conseguir se libertar de coisas e pessoas que não fazem mais sentido é lindo demais, Kah! que delícia de encontro você e a Paula <3 morrendo de amor aqui com a foto da Summer!